13/09/2017 19:40:41 - Atualizado em 13/09/2017 20:03:13

Balanço: 53 presos em operação contra o narcotráfico em Campos

  Ururau

Todos os presos já foram encaminhados à Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro onde ficarão a disposição da Justiça

Em coletiva realizada no início da noite desta quarta-feira (13/09), foi apresentado o balanço da operação que teve como objetivo desmontar uma das principais quadrilhas de tráfico de drogas em Campos. Ao todo foram cumpridos 53 mandados de prisão e 48 de busca e apreensão, segundo informações dos delegados titular e adjunto da 134ª Delegacia Legal, Geraldo Rangel e Pedro Emílio Braga, respectivamente.  

A ação, que teve ainda a participação da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Ministério Público, se estendeu até o início da tarde, é resultado de uma investigação que durou cerca de um ano. Pedro Emílio explicou que a investigação teve origem no final do primeiro semestre de 2016 quando estava ocorrendo uma intensa guerra entre o principal “elemento” dentro da estrutura do narcotráfico do Terceiro Comando em Campos (comunidades Tira Gosto e Matadouro) e um dos seus principais gerentes de tráfico.

“Em função desse conflito, diversas mortes aconteciam abalando todo cenário de segurança pública da cidade, com estatística de letalidade violenta elevada. A partir disso iniciou-se um trabalho para entender a razão desse conflito e passou–se a investigar a atuação da organização criminosa, a delinear toda a estrutura empregada por esse individuo no sentido de levar efeito narcotráfico e o domínio não apenas naquelas comunidades, mas em todas as comunidades de Campos, seja na região de Goitacazes, Guarus e outros distritos, incluindo o município de São João da barra, onde ele há algumas décadas mantem o controle quase que absoluto do narcotráfico, com mais ou menos influencia”, explicou o delegado, que afirmou ter prendido toda cúpula da organização.    

O delegado avaliou como positiva a operação que já pode ser considerada a maior de 2017 realizada no Estado do Rio de Janeiro, dado o número dos presos. “Foi um trabalho impar na cidade, de alta complexidade, uma investigação que durou um ano, que conseguiu delinear de forma cabal toda estrutura que até hoje funcionava em nossa cidade. Essa organização criminosa, inclusive possuía influencia sobre diversas outras facções e distritos da cidade e na área central”, disse.

Todos os presos já foram encaminhados à Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro onde ficarão a disposição da Justiça. Segundo a polícia, a organização criminosa atuava no município a mais de 30 anos.

“A investigação continua, já que a operação é mais uma fase investigativa, e o inquérito será agora passado as mãos do Ministério Público, que dará início à Ação Penal”, disse.   

Além dos delegados, estiveram presentes na coletiva o comandante do 8° Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Fabiano Santos, e o promotor de justiça do MPRJ, Fabiano Rangel. 

Reportagem: Redação


Fonte Ururau