05/09/2017 16:40:49 - Atualizado em 05/09/2017 17:02:58

Agricultura limpa 120 tanques de água na área rural de Carapebus

  Divulgação

A média de chuva na cidade é de 800 milímetros nesse período mas até agosto só registramos 350 milímetros

Com uma estiagem com mais de trinta dias acumulados, as propriedades rurais de Carapebus vêm enfrentando sérios problemas para abastecer seus tanques e reservatórios. Os mais atingidos são os animais que não encontram água para beber. Para minimizar a situação, a Prefeitura de Carapebus está fazendo a limpeza de 120 reservatórios de água das propriedades rurais, com retroescavadeiras da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pesca. Os trabalhos são coordenados e acompanhados pelo titular da pasta, Willison da Silva Mussi. Segundo dados oficiais do Clima tempo, há previsão de chuva em Carapebus apenas nos dias 8 e 11, nos períodos da tarde e noite, permanecendo o restante do período sem qualquer precipitação pluviométrica.

“A seca está sendo um problema para os agricultores da região. A média de chuva na cidade é de 800 milímetros nesse período mas até agosto só registramos 350 milímetros. Insuficiente para abastecer os tanques e reservatórios de água. Por isso, essa ação de limpeza e aprofundamento dos bebedouros”, detalha Willison.

A ação da secretaria de Agricultura foi muito bem recebida pelos proprietários rurais. O casal Juarez e Suely que possuem um pequeno sítio no assentamento 25 de Março foi um dos beneficiados e estavam satisfeitos com a solução apresentada. “Esse bebedouro antes vivia cheio, agora está completamente seco. E pedimos ajuda da secretaria de Agricultura para melhorar e agora o gado já tem como beber”, lembrou o agricultor.

O produtor Ricardo, do sítio Imbiú, em Morrinhos lembra que foi fundamental ter se cadastrado na secretaria de Agricultura solicitando a limpeza do seu reservatório e também de que, “ao contrário dos outros municípios, não existe contrapartida por parte do produtor. A prefeitura executa o serviço sem nenhuma cobrança”.

O produtor explica que estamos vivendo a chamada “seca verde”, onde o pasto mantém-se verde, abundante para alimentar o gado, mas em contrapartida, os reservatórios estão baixos ou secaram – na maioria das propriedades locais – e os animais não tem onde consumir água. “O bicho pode até ficar sem pastos, mas sem água ele não vive. Temos muito a agradecer a prefeitura que determinou esse serviço. Salvou nossos animais e nos dá oportunidade de esperar novas chuvas”, finalizou.

Reportagem:


Fonte Ascom